Depois que a Venezuela fechou as fronteiras com o Brasil e a Colômbia até 2 de janeiro, cerca de 50 pessoas entraram em contato com o vice-consulado do Brasil em Santa Elena de Uiaren, cidade brasileira que faz fronteira com o estado de Roraima, querendo voltar ao Brasil.

Sobre do fechamento da fronteira venezuelana, o Ministério das Relações Exteriores informa que estão sendo “realizadas gestões com vistas a buscar uma solução para o caso dos brasileiros que desejem retornar ao Brasil”. O Itamaraty pede que os brasileiros que necessitem de assistência consular emergencial para retornar ao país devem contatar o Vice-Consulado do Brasil em Santa Elena de Uiarén.

O anúncio da prorrogação do fechamento das fronteiras, inciado no dia 13, foi feito no sábado, 17, pelo presidente venezuelano Nicolás Maduro e, oficialmente, é uma medida para “continuar com as políticas destinadas a derrotar as máfias criminosas que operam para retirar papel-moeda [de circulação] e, dessa maneira, atacar a estabilidade econômica e social do povo venezuelano”. A prorrogação foi divulgada pela Agência Venezuelana de Notícias.

Segundo a Agência Lusa, milhares de venezuelanos estão impedidos de receber o salário, que é pago quinzenalmente no país, devido à falta de notas nos bancos, onde há vários dias se registram diariamente longas filas de clientes. No sábado, o presidente Maduro também anunciou a prorrogação até 2 de janeiro da nota de 100 bolívares.

Edição - Roseli Rossi Laera - Rede Scalabriniana de Comunicação