O aumento é de 2,3% em relação a agosto do ano passado (US$ 1,263 bilhão). Na comparação com o resultado de julho (US$ 1,362 bilhão), os gastos foram 5,14% menores. 

De acordo com o Banco Central (BC) essa foi a primeira vez que houve crescimento dos gastos na comparação anual desde janeiro de 2015. 

A queda recente na cotação do dólar foi fato determinante para o aumento dos gastos no exterior, além da melhora na confiança do consumidor.  

Em abril do ano passado, o BC adotou nova metodologia internacional para medir as contas externas. Dentro da conta de serviços, onde estão os gastos com viagens, o BC passou a apresentar novas linhas, como serviços de propriedade intelectual e telecomunicações, computação e informações, além de pesquisa, desenvolvimento, publicidade, engenharia, arquitetura, limpeza e despoluição,e serviços culturais, pessoais e recreativos.

Edição - Roseli Lara / Rede Scalabriniana

Dados – Agência Brasil