A II Romaria da Família Scalabriniana ao Santuário Nossa Senhora de Caravaggio foi marcada pela participação de muitas pessoas de todo o Estado do Rio Grande do Sul, cidades como Porto Alegre, Viamão, Passo Fundo, Guaporé, Serafina Corrêa,Sarandi, Rondinha, Canoas, Bento Gonçalves, Casca, Anta Gorda, Nova Bassano,Encantado, São Domingos do Sul, Caxias do Sul, Farroupilha, entre outras.

Os termômetros em Caravaggio, Farroupilha( RS), no dia 05 de junho, marcavam temperatura de 3 graus, mas a Via Sacra do Migrante aquecia o coração e trazia presente à realidade do mundo em mobilidade, dos milhares de migrantes e refugiados.

Destaque para a Via Sacra foi o relato de dois migrantes: Verone Jean Sanis Salomão, migrante haitiano residente em Caxias do Sul e Carolina Loaiza Zubieta, refugiada colombiana,que hoje é integrante do Movimento Leigo Scalabriniano e reside em Serafina Corrêa.

Dom Alessandro Ruffinoni (CS), bispo da Diocese de Caxias do Sul, que participou da caminhada, abençoou a todos da família Scalabriniana (padres, irmãs, missionárias seculares e leigos scalabrinianos), os migrantes e refugiados e todos os presentes, relembrando a devoção mariana trazida pelos imigrantes italianos, sinal da fé católica.

Ao som do sino do Santuário Nossa Senhora de Caravaggio, padre Gilnei Fronza, reitor do Santuário motivou a passagem pela Porta Santa, convidando a todos paraserem misericordiosos e acolhedores como o Pai. Em seguida aconteceu a recitação do terço vocacional scalabriniano, a adoração ao Santíssimo e a santa missa.

A celebraçãofoi presidida por dom Adilson Pedro Busin(CS), bispo auxiliar da Arquidiocese de Porto Alegre e concelebrada por dom Alessandro Ruffinoni, com mais de uma dezena de sacerdotes scalabrinianos.

A II Romaria da Família Scalabriniana foi celebrada em ação de graças a missão de estar junto aos migrantes, por todos os vocacionados e vocacionadas que desejam viver o carisma scalabriniano, pelo exemplo herdado dos bem-aventurados João Batista Scalabrini e Assunta Marchetti, pela 31ª Semana Nacional do Migrante, e recordando o convite do Papa Francisco, no Ano da Misericórdia, que nos impele a abrir as portas docoração em acolher o diferente, ser pontes e não muros.

Participaram da II Romaria aproximadamente 500 pessoa.

Equipes Vocacional Scalabriniana